BAR DO CIDINHO É ELEITO O SEGUNDO MELHOR BUTECO DO BRASIL

Bar do Cidinho é eleito segundo melhor ‘buteco’ do Brasil

Com o petisco Pilãozinho Caipira, bar tricampeão do Comida di Buteco em Rio Preto fica com o vice na disputa nacional

Tricampeão do Comida di Buteco em Rio Preto, o Bar do Cidinho acaba de ser eleito o segundo melhor “buteco” do Brasil. A conquista ocorreu durante a cerimônia de premiação realizada nesta semana no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo.

“Nós temos 40 anos de ‘buteco’ e o concurso foi um divisor de águas para nós. Primeiro agradecemos a Deus. Foi um trabalho muito intenso, mas mostramos o quanto somos apaixonados pelo Comida di Buteco e por nossos clientes. Obrigado, Comida di Buteco, por valorizar a família que trabalha todo dia, dedicada a fazer o melhor”, disse Cleusa Helena dos Santos Adami, filha de Alcides Lazaro dos Santos, o Cidinho.

O bar rio-pretense, que apresentou este ano no concurso o quitute Pilãozinho Caipira, ficou atrás apenas do Paladar Gi, de Belém-PA, com o petisco “Croquete Sabor da Amazônia”. Completou o pódio o bar Carrancas, de Montes Claros-MG, com a com o prato “Carronconstela”. A disputa leva em conta o sabor do petisco, atendimento, higiene do estabelecimento e temperatura da bebida.

Com o vice-campeonato nacional, o Bar do Cidinho iguala o feito de outro “buteco” da cidade, o Vila Aurora, que em 2016 também foi eleito o segundo melhor do País.

A escolha

No mês de junho, os 21 bares campeões em suas regiões foram visitados por uma comissão de jurados, escolhida especificamente para esta missão. Cada “buteco” recebeu três jurados, um da própria cidade e dois de outras localidades.

Pilãozinho Caipira

No Bar do Cidinho, os jurados puderam apreciar um prato que, segundo Cidinho, tem o “verdadeiro sabor do interior”. O Pilãozinho Caipira é composto por massa de cabotiã recheada com ragu de rabada e acompanhada de pesto de manjericão.

Sua inspiração surgiu a partir das memórias da mãe. A avó de Cidinho tinha o hábito de preparar as receitas prediletas para cada filho no dia de seus aniversários, e a comida preferida da mãe de Cidinho era cabotiã com costela bovina. Assim, com algumas alterações e ingredientes acrescentados por ele e pela filha Cleusa Helena dos Santos Adami Helena, surgiu o petisco participante do Comida di Buteco 2019.

“É um prato muito bom e que cai no gosto de nossos clientes. Somos muito gratos por todos que acreditaram em nós”, conta Cleusa Helena dos Santos Adami.

Vinte anos

Em 2019, o Comida di Buteco em Rio Preto ocorreu entre 12 de abril e 5 de maio e teve a participação de 15 bares. Em sua 20ª edição, o concurso trouxe como novidade o valor do petisco: todos os pratos concorrentes foram vendidos a preço único de R$ 20.

O Comida tem como missão transformar vidas por meio da cozinha raiz. Os concorrentes são estabelecimentos onde os proprietários estão à frente do negócio, não pertencendo a redes ou franquias. Têm a identidade do dono e, muitas vezes, funcionam como extensão de suas casas e envolvem outras pessoas da família. Durante o concurso, os bares chegam a dobrar o movimento, gerando inclusive novas vagas de emprego.

O concurso teve origem em 2000, na cidade de Belo Horizonte, e atualmente ocorre em 21 cidades brasileiras simultaneamente, elegendo desde 2016 também o melhor buteco do Brasil. Além de ser o primeiro concurso do gênero, também demarcou abril como o mês do “buteco” no País.

www.eloisamattos.com