PATRULHA MARIA DA PENHA PROMOVE OITO PRISÕES EM POUCO MAIS DE DOIS MESES

Criado em março, órgão especializado já visitou 180 mulheres em todas as regiões da cidade

Em pouco mais de dois meses nas ruas, a Patrulha Maria da Penha realizou oito prisões por descumprimento de medidas protetivas. Foram detidos e encaminhados à Polícia Civil quatro ex-companheiros, três filhos e um neto por agressões e ameaças. As prisões realizadas até agora ocorreram nas regiões Sul, Leste, Norte e Central.

Desde o lançamento da Patrulha Maria da Penha, que ocorreu em 9 de março, a Guarda Civil Municipal recebeu do Tribunal de Justiça 180 medidas protetivas para fazer o acompanhamento das vítimas. Todas já foram visitadas.

Essas mulheres estão sendo acompanhadas periodicamente pelos 12 guardas que compõem a patrulha. As visitas acontecem durante todos os dias da semana, quando as vítimas de violência doméstica são ouvidas e, caso precisem de assistência, são encaminhadas à rede municipal de Assistência Social e Saúde.

As vítimas possuem acesso permanente ao contato telefônico dos guardas da Patrulha Maria da Penha e são orientadas a ligar no telefone da GCM, o 153, em caso de emergência.

Outros casos

Além das oito prisões realizadas pela Patrulha Maria da Penha, outras três ocorreram no mesmo período em contexto de violência doméstica. Nesses casos, as vítimas não eram assistidas pela equipe especializada, mas procuraram a GCM pelo 153 para denunciar agressões. Guardas foram até esses locais e detiveram os agressores, conduzindo-os à delegacia. Atualmente, essas mulheres integram a lista de visitas da patrulha.

Os patrulheiros realizam as visitas no período diurno, mas todos os guardas da corporação são capacitados para atender as ligações de emergência 24 horas.

www.eloisamattos.com